RSS

Relicário

16 dez

11

Nasceu num olhar, brotou de um sorriso

Esse amor que a minha alegria entristece

Viveu num segredo, morreu de indeciso

Pra detê-lo não houve conversa nem prece

 

Inútil tateio num caminho impreciso

E por razões que a própria razão desconhece

É um mistério, talvez, desvendá-lo preciso

N’alma ficou, coração não esquece

 

Este amor irreal, relicário que debalde idealizo

É castigo, e o que mais dói, machuca e fere…

Ontem fui colo, leito, abrigo, hoje, nem me conhece

 

Hospedeiro letal, cruel assassino, mata o peito onde cresce

É o legado do amor não correspondido, veneno amargo, sinistro,

Pois, quando não mata, enlouquece!

 

Lu Marinho

Anúncios
 
1 comentário

Publicado por em 16 de dezembro de 2013 em #DESTAQUE, ↑ REFLEXÃO ↓, ♥ POESIAS ♥

 

Uma resposta para “Relicário

  1. Jettro7

    16 de dezembro de 2013 at 11:49 PM

    Eita que ela está apaixonada!!! rsrsrs
    E como sempre escrevendo belíssimos versos… Parabéns!!!

     

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: